BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Rombo de R$ 2,3 bilhões no Estado foi falta de responsabilidade das gestões anteriores, diz governador


O governador do Amazonas, Wilson Lima, atribuiu ao descontrole e à falta de compromisso e responsabilidade na gestão dos recursos públicos o déficit orçamentário de R$ 1,5 bilhão e a dívida superior aos R$ 867 milhões, identificados pela equipe de transição do Governo, nas contas do Estado. Somados, déficit e dívida superam R$ 2,3 bilhões. O relatório foi apresentado nesta quarta-feira (02/01), em entrevista coletiva na sede do Governo, bairro Compensa II, zona oeste.

O documento, que tem mais de oitocentas páginas e está disponível para consulta no portal www.amazonas.am.gov.br, aponta que o Governo do Amazonas inicia o ano de 2019 com menos R$ 1,5 bilhão no orçamento, valor abaixo dos custos com os contratos vigentes para o ano. Por isso, adiantou o governador, os contratos serão revistos no prazo de um mês.

“O que nós vamos fazer é chamar essas empresas, esses fornecedores, para renegociar contratos. E aqueles contratos, principalmente da área de saúde, que estão sendo pagos por indenização, a gente vai entender como é que isso foi feito. É preciso ter a comprovação de como esse trabalho foi feito, se não houver essa comprovação aí vamos precisar mandar para os órgãos de controle”, disse ele.

O relatório apontou que houve um aumento de dez por cento nos gastos com pagamento de pessoal, mas o orçamento destinado a essa área não acompanhou. Ele foi estimado em R$ 5,8 bilhões para 2019 e é menor do que os R$ 6,4 bilhões usados em 2018.

Serão R$ 600 milhões a menos no caixa para pagamento de pessoal, em um ano em que o Governo tem reajustes escalonados previstos para servidores e concursos públicos em andamento. Entre as áreas em que a situação também é preocupante está a da saúde, com déficit de R$ 280 milhões para pagamento de cooperativas médicas, gastos que têm impacto nas despesas com pessoal.

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.